Um dia com os apaixonados por bike da equipe “Unidos no Pedal de Salto”

Blog do Nelson Lisboa Unidos no Pedal de Salto
Equipe, na saída para Cabreúva, na manhã de domingo: oração, regras e integração

 

Com toda a certeza foi um dia inesquecível para os cerca de 50 ciclistas participantes.
Pudemos participar ontem, dia 15, de um passeio da equipe de ciclistas “Unidos no Pedal de Salto”, organizada por amigos do Beto, da Mega Esportes.

Acima de tudo, ainda como iniciante no esporte do ciclismo off road, fomos convidados para o passeio em Cabreúva.
Mas, jornalismo é 24h, está na veia e fazemos com muito amor.

Sendo assim, não foi possível desvincular o iniciante no pedal, Nelson, do jornalista e blogueiro.

E, diante disso, decidimos contar um pouco das experiências do dia 15, quando pedalamos cerca de 40 km com uma galera muito bacana.
Sendo assim, um resumo das experiências que trazemos do dia:

– Ciclismo é algo que vicia. Sim. Vicia. Quando você começa a praticar e a descobrir que há um mundo gigantesco longe do computador, do celular, da internet, do escritório, você não quer parar.

– Ciclismo é uma linguagem universal. Seja em estrada ou trilhas, onde dois ciclistas se cruzam há um cumprimento, um olá e, se há alguém com problema, é igual formiga: todo mundo para e pergunta se precisa de ajuda.

– Ciclismo gera simpatia, gentileza, solidariedade. O passeio de ontem, feito em Cabreúva, reuniu cerca de 50 pessoas.

Quem não tinha como levar a bike teve a ajuda dos que podiam levar.

Emocionante chegar de volta à igreja de Pirapora e lá encontrar outros – que chegaram primeiro – servindo melancia aos que chegavam, para ajudar na reidratação.

– Ciclismo ajuda no senso de equipe – No trajeto de 40 km até uma cachoeira maravilhosa na Serra do Japi, sendo 20 ou 22 km de estrada e 18 de trilha, não havia disputa. Todo mundo junto, cada um em seu ritmo, no final, todos felizes e gratos pela experiência.

– Ciclismo gera espírito comunitário. Os organizadores da equipe estão levantando fundos para ajudar um amigo que está necessitado e a adesão de todos foi imediata. Muito bacana.

– Ciclismo não tem idade, não tem sexo e nem físico mínimos exigidos.

Pedalar por aí é a chance de cruzar com homens, mulheres, garotos, adolescentes, adultos, idosos, altos, baixos, gordinhos, sarados, enfim, basta estar em dia com o coração (sim, você deve fazer uma avaliação médica antes de começar qualquer esporte), ter uma bicicleta boa e começar.

– Ciclismo é bom para a família: Ontem, da saída da Igreja de Cabreúva até o local da cachoeira e na volta foi possível ver maridos e mulheres, pais e filhos, tios e sobrinhos, pedalando juntos. Quem pedala não fica no “zap”, no “face” e nem discute por qualquer coisa boba.

– Ciclismo exige equipamento bom e equipamento de segurança: Sair pedalar por ai não é algo apenas prazeroso. Exige planejamento e investimento.

Você precisa comprar uma bicicleta que lhe dê segurança, estabilidade e não esquecer dos equipamentos de segurança: capacete, lanternas da frente e traseiras, bike com freios em dia, etc.

– Ciclismo é ambientalmente correto: Pedalar na Estrada Parque, por exemplo, é a chance de ver o quanto o homem pode ajudar a natureza.

Quem pedala não polui (tem sim alguns que ainda não têm consciência ambiental e jogam latinhas, sacolas, etc, fora, ao invés de levar até um ponto correto de descarte). Quem pedala não agride a camada de ozônio, não gera trânsito e nem congestionamento.

Ciclismo é alegria: ver a equipe ontem, na cachoeira da serra do Japi, banhando-se na água, foi sensacional. Todos ali pareciam crianças diante do espetáculo da natureza e se divertiram. Eu inclusive. OU, eu, principalmente.

– “Ciclo Selfies”, “Bikers Selfies” – Ciclismo é sinônimo de fotos. Em menos de 24 horas após o passeio, no grupo de whats da Unidos no Pedal, centenas de fotos “exigiram” força dos aparelhos, mais que o pedal exigiu dos participantes.

Resumindo: A Equipe Unidos no Pedal de Salto está de parabéns pela integração, pela alegria de seus participantes, pela chance dada a todas as pessoas de se exercitarem e serem felizes.
Esse jornalista, iniciante da arte do ciclismo, agradece a oportunidade do convite para o passeio. E já vamos nos preparar para próximo.
Clique aqui e veja em nosso facebook um álbum com as melhores fotos do passeio de ontem.

Quer começar? Há na cidades várias e excelentes bicicletarias que podem lhe fornecer equipamentos de bom nível.

A Mega Esporte, onde compramos a bike nossa e a da esposa, oferece completa assessoria para lhe ajudar a definir o melhor equipamento possível.

Veja o face deles aqui.

Blog do nelson Lisboa acompanha passeio ciclístico em Cabreúva
Cena que refletiu o dia: gentileza e solidariedade para todos chegarem à cachoeira no Japi

 

Blog do nelson Lisboa pedal em Cabreúva

Nelson Lisboa
jornalista, blogueiro, gerador de conteúdo digital e iniciante no vício saboroso do ciclismo de estrada e fora de estrada
Blog do Nelson Lisboa
Selfie biker que se preze aproveita qualquer chance para uma selfie, como essa, com a amiga Rosenir e os demais ciclistas ao fundo